5 de junho de 2014

I think I'm dumb

Sabe quando você toma um susto? Um daqueles que faz você perceber que no fundo, quer dizer, nem tão no fundo, muito do que você é pode se resumir como uma romântica, babaca, inocente? 

Então, parece que tenho 32 anos e com foco na vida de uma moçoila de 15.  
Eu canso de ver essa coisa do "comer os olhos e lamber com a testa", sabe? A coisa do "opa, namoro mas olho pra todo mundo, ué, qual o problema? Eu quero comer tudo mundo, mas não como, é diferente". 

Como pode ser diferente? Como alguém consegue achar normal o desejo frequente por outras pessoas, além do que sente pela pessoa que está com ela? E no fim, no meio de todo mundo, eu acho que tô errada, porque geral é assim, né? Deve ser imaturidade minha isso tudo.

Sou babaca por pensar assim, né? Ok.

Quando eu fiquei solteira percebi que muito da minha dificuldade em me relacionar com outros caras estava no fato de que eu mal olhava para eles, porque eu ainda carregava em mim esse sentimento de quando era "comprometida" e não olhava, nem dava brecha pra ninguém, daí passei por um processo de mudança em olhar mais para os homens, digo OLHAR mesmo, sabe? Mas na verdade acho que nunca fiquei muito boa nessa técnica aí, eu sou bem cuzona na arte de paquerar. Me perco, não sei o que falar e falo demais, sou sincera demais e estrago tudo.

Hoje tá rolando greve do metrô aqui em São Paulo, eu demorei 4 horas para chegar no trabalho e a estimativa da volta não tá diferente, contudo eu acordei de bom humor, o dia está até que bonito, mesmo estando frio, eu consegui ficar sorrindo e de boa, mas agora já tô achando meu dia uma merda, sei lá.

Uma musiquinha do Nirvana para fechar, porque é equivalente ao que tô sentindo, meio idiota e meio juvenil.


Um comentário:

Laís Lemos disse...

Às vezes também me sinto adolescente. E muitas vezes, me tratam como adolescente. Mas afinal, qual o problema disso?

Prefiro acreditar que o problema sempre está com a maioria. A maioria que insiste em ser o que se conhece por "responsável", etc. A maioria mata sua inocência pra poder engolir o que é imposto.

Acho que é mais ou menos isso. Se eu estiver certa, prefiro continuar babaca, boba e adolescente a atuar de maneira adulta e perder a intensidade inconsequente da vida (e não estou falando de drogas, sexo e rock). Estou falando de seguir as próprias vontades ao invés de comprar o kit casa-carro-2 filhos.
Mesmo que se descubra depois que casa-carro-2 filhos talvez aconteça e seja bom...

Beijo!