16 de junho de 2014

As mentiras que compramos

A gente sempre sabe o que quer, sabe exatamente, eu sei pelo menos, mas e o medo, né? O que a gente faz com o medo que surge e te aterroriza um pouco toda vez que você pensa "eu quero isso e seria capaz de dar esse passo, mas queria alguém comigo, o quanto isso é feio, é ser fraca?"

Tenho cada vez mais acreditado que para muitas coisas eu nunca estarei pronta, que talvez a única forma de fazer algo é me colocando na situação de risco. Porque pensando aqui comigo, eu sempre dei conta do que me propus a fazer, sempre consegui, mas dá medo de ser a primeira vez a dar errado, ninguém gosta de errar.

Eu acordei feliz hoje, aliás como tenho estado por esses dias, mesmo com algumas arestas, mas feliz. Daí eu fiquei ociosa e resolvi ver os valores para alugar apartamento em São Paulo, a felicidade foi quase embora, ela ficou tímida, com vergonha de estar por aqui.

O que mais me cansa nisso tudo, nesse meu querer de mudança, é que eu sei que não terei ajuda de ninguém. É algo que compete unicamente a mim, eu tô literalmente sozinha nessa, isso dá medo e uma quase vontade de chorar no meio da tarde, porque eu sinto que tô ficando cada dia menor por não conseguir dar esse passo. É como se o tempo passasse e eu me encolhesse, com vergonha de estar com 32 anos e não conseguir dar esse passo.

Com medo e com vergonha de não ser autossuficiente, ainda sabendo que a autossuficiência é uma balela, uma balela que eu queria ter na minha vida.

*a nova grafia de autossuficiência é muito feia.

2 comentários:

Deh disse...

Eu não acho que seja balela completa, mas fico no meio termo de achar que há uma "grade" com níveis de autossuficiência. Posso ser assim em um aspecto mas me pego sendo dependente em outros.

Eu me encolho, há passos importantes me esperando e eu simplesmente não consigo. Fico miserável se dou, fico miserável se não dou.

:*

Vitor Costa disse...

"O que mais me cansa nisso tudo, nesse meu querer de mudança, é que sei que não terei ajuda de ninguém..." é exatamente assim que me vejo, quando quero mudar efetivamente e sair do casulo, da zona de conforto, porém, o medo impera, a solidão me assusta e o desconhecido fica distante. Um dia eu vou mudar minha vida, mas não hoje rsrs

Muito interessante seu blog, adoraria uma visita:

http://omundoemcenas.blogspot.com.br/

Beijos