4 de março de 2014

A pessoa que eu gostaria de ser

"Às vezes você tem o olhar triste" e "Sim, às vezes te acho triste"

Certas coisas a gente escuta e não liga, mas outras mexem com você de uma forma estranha, de um jeito que é difícil explicar. Como as duas frases aí de cima, eu chorei quando ouvi as duas, eu chorei sentida porque eu não quero ser triste, mas curiosamente as duas frases só me deixaram mais ainda.

Desde que me conheço por gente, desde muito novinha, eu escuto que eu não sou sorridente como todo mundo. Isso sempre me machucou, porque ninguém quer ser triste, ninguém quer ser a pessoa que passa tristeza para os outros. Mas eu simplesmente nunca consegui ser a pessoa que ilumina o ambiente quando entra, a pessoa que ganha todo mundo só com um sorriso, eu nunca consegui ser feliz nesse molde esperado.

Daí eu achei que mudei, eu estava acreditando que estava bem, que estava diferente, mas então eu escutei isso, que eu passo essa tristeza às vezes e eu não entendi, porque eu não sei mais o que fazer para ser melhor e não digo "melhor" no sentido de superar os outros, mas no sentido de estar bem comigo.

Faz um tempo eu até escrevi aqui sobre mudanças e sobre efetivamente mudar, mas eu me sinto de novo meio perdida, porque eu não sei o que fazer com essas duas afirmativas e elas vieram de uma pessoa que gosto muito, de alguém que eu me importo e que não acredito que tenha dito para me machucar, mas disse simplesmente achando que pudesse me ajudar, como um incentivo para melhorar.

Acontece que eu não sei mais como melhorar, eu tenho feito tudo o que posso para ser a pessoa que eu gostaria de ser e só agora, após escrever essa última frase que eu percebo o meu erro.

Caí de novo na armadilha de tentar ser quem não sou e percebi isso exatamente no decorrer desse texto. Engraçado que quando você acha que finalmente se aceitou, vem um pequeno caos, mexe com tudo, tira tudo do lugar, joga suas seguranças para longe e te deixa triste no fim do Carnaval.

E viu a ironia? Eu que não quero ser triste, estou chorando na época mais festiva do meu país. Mas tudo bem, vai passar, como todo Carnaval.






4 comentários:

Unknown disse...

milla sweetheart, li o que vc escreveu e entendi tudo, ou melhor, compreendi bem por sentir isso na pele. não pq me achem triste, mas pq eu mesmo, em muitas ocasiões só sou feliz na hora errada, ou citando clarice, triste eqto todos festejam. por exemplo, é carnaval e eu estou aqui, trancado num apartamento cheio de tristezinhas e insatisfações, principalmente do coração.

não sei se há um conselho pra tudo isso, o que nos resta é seguir sempre em frente, e tentar mudar as coisas de vez em quando, tentar manipular um pouco as situações.

não sei se isso serviu de ajuda, mas saiba que vc não está sozinha. e jamais se sinta culpada.

um beijo

Renata disse...

Milla, lendo seu texro eu me lembrei de algo que aprendi há algum tempo, na terapia: a teoria paradoxal da mudança (que é da abordagem que eu faço, a gestalt). Talvez te interesse. Beijo :*

Denilce Bizerra disse...

Milla,a gente dificilmente se torna aquilo que deseja ser. O que acontece é que a gente vai se tornando o que sempre foi só que um pouco mais moldado, vc tava nesse processo qdo se sentiu melhor, tava cabendo certinho nas situações e depois pá! viu q suas medidas definitivamente não são as mesmas dos outros. Isso acontece,isso acontece o tempo todo. E doce, vc é um doce sabia... não fica assim. Nós gostamos de vc e do jeito q vc é, então não é vc q tem que mudar e sim as pessoas a aceitar que todos somos diferentes. Esse dia vai chegar! beijão

Flá Costa * disse...

Milla, querida, fico pensando em como a vida seria mais fácil se a gente conseguisse simplesmente ser. Livre das amarras dos outros sabe? Do julgamento alheio. É uma merda grande e um paradoxo enorme, porque querendo ou não, nossa vida só tem importância porque a dividimos com os outros. O que me faz pensar que uma das escolhas mais importantes é com quem andamos.
Acho que você deve ser você, independente de qualquer julgamento. Quem valer a pena pode até te achar triste, mas vai te botar no colo pra ninar até sorrir.

Beijinhos*