28 de janeiro de 2014

O amor nos tempos da gastrite

Eu acho que minha homeopata tem superpoderes, sei lá, ela é meio guru, meio psicóloga, meio vidente e meio assustadora.

Eu cheguei pronta para falar pra ela sobre dois problemas: gastrite e uma ansiedade maluca que vem tomando conta de mim. O diálogo foi mais ou menos assim:

- Então, eu tô com gastrite e ando muito ansiosa.
- Aconteceu algo diferente nesse último período que você não veio aqui?
- Ah, nada, acho que nada. Mas sabe, eu estava tão bem, tão equilibrada, daí eu ando pirando, e eu nem lembrava mais como era ficar apaixonada, tá tudo tão bagunçado, daí vem essa gastrite e eu não posso mais tomar café! Não posso nem tomar mais café para me acalmar, eu tô meio zureta, preciso de algo para controlar isso e no trabalho eu tenho sempre sono e não posso tomar café! Sei lá, acho que tudo isso é porque não posso mais tomar café, daí fico nervosa.
- Café não acalma, Camila. E você tá apaixonada?
- Ah, é, tô sim!
- E isso faz quanto tempo?
- Hum... uns dois meses.
- E foi nesse período que você teve a gastrite então?

Nesse momento, a minha reação foi:



- Camila, você precisa se acalmar, tem que deixar as coisas fluírem, curtir mais. Ta bacana com esse rapaz?
- Tá sim, tá bem legal, eu gosto dele, mas... nossa, gastrite por ficar apaixonada, que horror, não acredito.
- Para, não se cobre tanto, mas tente relaxar.
- Você pode me passar um remédio pra isso?
- Não, você tem que fazer isso sozinha.
- Mas eu tô apaixonada, com gastrite e não posso tomar café, é impossível eu relaxar.
- Você vai ter que achar um jeito de conseguir, e mais uma vez, café não acalma!
- Mas eu me sinto melhor com café.
- Mas você não pode tomar.

Aqui eu fiz uma cara de cu pra ela e fiquei igual criança emburrada na cadeira.

- Eu vou te passar algo para a gastrite, de resto você tá indo bem, continua com o que você tá tomando e aproveita que você tá feliz. Você tá feliz, não tá?
- Tô sim, mas...
- Não, Camila, apenas está, não tem "mas"

Aqui eu fiz outra cara de cu.

- Tá, eu tô feliz ¬¬
- Ótimo, você vai se sair bem e fiquei feliz que você está apaixonada, sentimentos fortes desequilibram e isso é bom, seria muito chato se não fossem assim, aproveite esse "caos de felicidade" e não surte, senão você terá úlcera! RISOS

¬¬

Aula de hoje: amor não mata, mas pode dar gastrite.

2 comentários:

livroseoutrasfelicidades disse...

Eita gastrite boa!

Descontente disse...

"Sentimentos fortes desequilibram e isso é bom" foi a coisa mais sábia que li nesse ano. Que você siga então, desequilibrada mas feliz :)

Ah, e sobre astrologia e demais coisas místicas, o duro é que eu insisto em acreditar em Personare, Susan Miller e esses blablablás que só acabam por aumentar minha frustração... GRRRR!