1 de julho de 2013

Silêncio

Eu gosto dos clichês da vida, gosto dos ditados e particularmente acredito que o silêncio diz muito. Tem gente que quando cala, na verdade grita e manda pra bem longe quem não quer perto de si, é meu caso. Tem o silêncio que é indiferença, também é meu caso, mas tem também o silêncio que secretamente deseja algo, também meu caso.

Quem me machuca, quero que sofra igualmente ou que pelo menos bata o dedinho do pé na quina da cama.

Quem me ignora, desejo que me queira quando eu não mais quiser ou que no café da manhã, o pão caia com a margarina virada pra baixo.

Quem me engana, desejo que sofra desenganos ou que fique 1h30 na fila do banco e quando chegar sua vez, o caixa feche.

*Texto originalmente escrito em 23/02/2010 e encontrado nos meus rascunhos, não consigo me recordar para quem ou o que desencadeou, mas gostei de ver que não sou tão amável quanto gostam de acreditar, afinal, todo mundo tem sua dualidade :)

3 comentários:

Deh disse...

Esse texto muito MUITO me representa.

Milla Pupo disse...

Fico feliz, porque assim, mais uma vez, me sinto menos só :)

livroseoutrasfelicidades disse...

Ei, que bom encontrar um texto que faça você pensar "sim, essa sou eu, mesmo depois de 3 anos". :-)