4 de julho de 2012

Amor de Horácio

Quando tudo fica muito exaustivo, a ponto de achar que não vou dar conta, que vou pirar, matar ou ser morta, eu sinto falta de alguém que me abrace no final do dia, nem que seja virtualmente, pelo telefone, um sms, um carinho dizendo para ficar calma, para me ajudar a recobrar a força que tenho, uma afirmativa de que tudo vai dar certo, porque com amor a gente supera tudo, não é isso? Foi o que ensinaram do amor e da força dele. Mas daí que não, não tem esse amor, eu só posso superar tudo pelo amor próprio e pela minha sanidade, porque não tem quem me pegue pela mão, quem acalme. 

Amor próprio não deixa de ser amor, eu sei, mas ele tem os bracinhos curtos, como o Horácio, ele não consegue abraçar ninguém por completo, acho uma pena. Tão bonitinho o Horácio...


2 comentários:

Winnie Affonso disse...

Pois é.
Duvido que o amor próprio satisfaça por completo qualquer pessoa que seja. Quem se diz muito autossuficiente (urgh, não sei mais escrever essas palavras com a nova ortografia) é porque não sabe o quanto é bom tudo isso que vc enumerou aí.

Winnie Affonso disse...

Ps.: melhor definição, a do Horácio! :D