28 de dezembro de 2011

Chega mais

Sou do tipo que adora morder as beiradas do copinho plástico de café e que sente um prazer infantil em ouvir as folhas secas fazerem "crec" ao pisar nelas. Fico contente quando consigo tirar o esmalte todinho da unha com o dente. No frio, gosto de deitar na cama e fazer uns grunhidos me aninhando. Gosto de ler anúncios no jornal enquanto eu como na mesa. No banho, eu tampo os ouvidos com os dedos, deixo a água cair na cabeça e fecho os olhos, parece que estou submersa, talvez no útero fosse assim.

O cheiro novo ou velho de um livro quase sempre me traz alguma sensação. Adoro puxar pelinhas da boca, embora o dano nem sempre compense, mas sou meio masoquista (quem não é?), aliás, gosto da sensação de poder e controle que tenho depois de superar uma dor. Ouvir o celular avisando que chegou SMS sempre me dá empolgação, ainda que por breves momentos e a mensagem seja da operadora. Gosto do arrepio que sinto quando passo hidratante frio na pele e nada me amolece mais do que um gato ronronando.

Esse é meu texto de retrospectiva, nada do que foi, apenas um pouco do que sou.

Oi, 2012.
Prazer.

Um comentário:

Milena disse...

muitos prazeres, amelie ^^