7 de abril de 2011

O torto

Eu gosto de quem se fudeu, de quem tropeçou em público e quis morrer de vergonha, de quem já foi enganado. Quero perto de mim alguém que já teve um ataque de riso em velório, uma pessoa que disse o que não devia, alguém que já mentiu e nem sempre se arrependeu.

Quem foi sincero e odiou, quem já foi roubado, quem já chorou sozinho num banheiro e esmurrou uma parede. Uma pessoa que já perdeu o controle, alguém que nem sempre é racional. Quero alguém que ande numa linha torta. Que já amou e não foi correspondido, que sofreu traição, que teve sexo sem compromisso e tentou criar um.

Eu gosto é do estrago, do roto, do sujo, daquilo que está no subsolo. De quem já teve inveja, já teve raiva, desejou o mal e não conseguiu fazer. De quem admite que pode ser vil e carrega cicatrizes com orgulho da condição humana.

Não acredito em semideuses.





*Inspirado no Poema em Linha Reta"

Um comentário:

Milena disse...

empatia, saca?!

;*