4 de março de 2010

cine life paradiso

O dia começaria com uma viagem a Darjeeling, no caminho não haveriam carros, mas apenas bicicletas voadoras. Eu voaria como uma joaninha e saberia como é uma vida de inseto. Chegando lá conheceria uns cães de aluguel que farejariam uma produção de laranjas mecânicas ilegais. Eu a denunciaria para as autoridades e ficaria rica pela recompensa recebida.

Como investimento, compraria porcos e diamantes e planejaria curtir a minha vida de solteira, mas meus planos passariam por uma pequena adaptação, eu iria me apaixonar por Richie Tennembaum e, juntos, fugiríamos para o único lugar onde os fracos não tem vez.

Lá eu descobriria que ele era viciado em jogos, trapaças e que escondia dois canos fumegantes e que além disso, era um procurado psicopata americano que sonhava em ter uma noiva cadáver.

Com medo, eu pediria ajuda a todos os homens do presidente e acabaria conhecendo garotos incríveis, dentre eles, Clarence Worley que, para me defender, mataria Richie, provando ter por mim um amor à queima roupa.

Fugiríamos para Budapeste e depois de horas de viagem, já muito cansados, nos sentaríamos em um banco. Depois de um tempo me levantaria e ficaria dançando no escuro, pensando no meu destino insólito e então, antes do amanhecer, sentaria junto dele e ele acariciaria meus cabelos, diria que me amava e que eu era uma menina de ouro.

Me beijaria, colocaria uma magnólia no meu cabelo e pediria que eu ficasse de olhos bem fechados, ao abrir me daria um pedaço de papel dobrado escrito "Mensagem para você" eu abriria e leria "Ps. Te amo" e a partir daí eu saberia que teriamos uma vida iluminada.

2 comentários:

• YuЯi KiddO • disse...

que surpresa magnífica ler esse texto! adorei, ideia genial! =D

Vinícius Peixoto disse...

Perfeito.