23 de junho de 2009

não nascidas

Uma porção delas teimam em me diminuir, inclusive pela minha ausência com elas.


Elas escorrem pelos olhos, escapam da boca e permanecem não ditas, natimortas.


Abortou o que tinha de bom. Restou uma poça de sangue que ninguém quer limpar e um quase corpo que ninguém quer enterrar.

.

Foram as suas, as minhas, as deles e de muito mais, e o que restou?

Um cemitério cheio delas.

Palavras.

2 comentários:

• YuЯi KiddO • disse...

Aeee voltou!! =)

e voltou bem!

Edson Nunes disse...

Profundo e intenso!

Estou te add aqui tbm. E, quem sabe um dia, não vou no famoso rodízio de sopas.

Abraços.