7 de agosto de 2012

Corra pelo que vale a pena


Correr é quase uma condição do paulistano, é nato, é visceral, é comum. É a pressa em dormir, para logo acordar, a pressa de chegar, a pressa de sair e existe até a pressa para se divertir. Se a cidade não dorme, porque eu deveria? Viver demanda tempo e por isso a gente corre, é a pressa com a vida. Nelson Rodrigues disse que o brasileiro é um feriado, talvez seja, mas, sem dúvida, o paulistano é um dia útil.

De hoje em diante, quero mais feriados durante a semana e por favor, se é para correr, que seja uma corrida de perder o fôlego e de arquear as pernas. Uma corrida para molhar de suor e não de lágrimas. Uma corrida que deixa o corpo quente e acelera o coração. Se é para correr, que seja por algo bom. 



*Título e foto de Fernando Freitas.

3 comentários:

Lelê Conti disse...

Adorei!! Preciso me concentrar nisso!!

Fernando Freitas disse...

São Paulo é insalubre. A gente se acostuma com o que é ruim e passa a achar normal viver correndo, reclamando do BigMac que demorou 3 minutos pra ficar pronto. Várias vezes me pego correndo na rua voltando do trabalho, como se eu tivesse horário pra chegar em casa. Quando alguém fala sobre morar no interior ou até mesmo em capitais mais tranquilas, sempre pensamos "Ah! Eu jamais me acostumaria! Imagina! Não ter nada pra fazer, não ter shopping, não ter mercado perto. Que tédio!"
São Paulo é boa, mas cobra muito caro.

Milena disse...

eu não poderia concordar mais. a gente corre tanto que esqueceu como é que anda devagar.

queiramos mais passos lentos, por favor.